As picapes compactas cabine simples são utilizadas majoritariamente como ferramenta de trabalho, por isso robustez, capacidade de carga, custo de manutenção e de utilização são quesitos de alta relevância para o comprador. Segundo a Chevrolet, levantamento da JATO Dynamics aponta que a Montana é a picape com o menor custo de propriedade durante os três primeiros anos de uso – tempo médio em que o consumidor troca o veículo.

A conta leva em consideração, além do preço de compra do veículo, os custos com revisão, manutenção, seguro, impostos, taxas, depreciação total do bem e combustível para rodar 60 mil quilômetros. Entre as três picapes mais vendidas da categoria, o custo de propriedade da Montana no período chega a ser cerca de R$ 1.500 menor. Outro diferencial competitivo da Montana em relação a rivais no mercado brasileiro é a direção hidráulica de série. “O nível de conforto e a ergonomia em veículos de trabalho são quesitos que refletem na produtividade e no bem-estar do usuário, principalmente daqueles que rodam várias horas no dia”, destaca Marcelo Tezoto, diretor de Vendas Diretas da GM.

Outra característica da Montana é sua capacidade de carga de até 756 kg. O design da caçamba, comprida e alta, transporta com segurança mesmo objetos grandes, como motocicletas. Para preservar o assoalho, a picape vem com protetor de caçamba, dez ganchos para amarração de cordas e o degrau side step que facilita o acesso ao compartimento pela lateral. A tampa traseira possui trava antifurto com chave, enquanto a cabine utiliza-se do conceito MaxCab e comporta bagagens de mão na parte posterior dos bancos, útil também para o usuário que busca um veículo para o lazer.

A linha 2019 da Montana estreia nas seguintes opções de cores para a carroceria: vermelho Chili (sólida), cnza Satin Steel (metálica), preto Ouro Negro, branco Summit, cinza Grafite e prata Switchblade. Traz, além de direção hidráulica, rodas aro 15, banco do motorista com ajuste de altura, sistema de luz “siga-me”, painel de instrumentos na cor “Ice Blue” e as sombreiras com espelho. A lista soma para-choques na cor da carroceria, lanternas escurecidas, barra de proteção nas portas e freios ABS com assistente de frenagem de emergência (EBD).

A picape pode ser equipada com ar-condicionado, grade de proteção do vidro traseiro, comando elétrico dos vidros, travas e retrovisores externos, sistema de acendimento automático dos faróis, controle de velocidade de cruzeiro e sistema de som com Bluetooth e entrada USB.

A Montana é comercializada em duas versões de acabamento: LS e Sport, sempre equipada com motor flex SPE 1.4 ECO de elevada eficiência energética. A transmissão é manual, de cinco velocidades. O conjunto mecânico desenvolve até 99 cavalos e 13 kgfm de torque, garantindo elevado nível de desempenho mesmo com o carro carregado.

De acordo com dados do Inmetro, o modelo da Chevrolet é a mais econômica da categoria. Em média, percorre com um litro de gasolina 13,4 quilômetros na estrada e 11,7 quilômetros na cidade. Com etanol, são 9,2 quilômetros e 7,9 quilômetros, respectivamente. O indicador de mudança de marcha no painel ajuda o motorista a dirigir de forma mais eficiente. Colaboram os apêndices aerodinâmicos, como o spoiler lateral, que reduz a resistência ao vento e contribui para o maior silêncio a bordo.

A Montana conta ainda com alternador de alto rendimento, sistema de arrefecimento com ventilador de menor atrito e a utilização de óleo de baixa viscosidade (0W20). Freios de baixo arrasto, rolamentos especiais e pneus de baixa resistência a rolagem fazem igualmente parte do pacote. Já a aceleração da picape de 0 a 100 km/h é feita em 10,4s.

 

 

 

 

 

Fonte: GM Mercosul / Imprensa
Fotos: Divulgação

Anúncios