O constante avanço tecnológico faz com que as pessoas sejam cada vez mais conectadas, e uma das consequências dessa conectividade constante é percebida nas comunicações. Os usuários se acostumaram ao hábito da instantaneidade para obter informações ou se comunicar e, para isso, se utilizam muito da conexão via internet. As opções para conectar-se à Internet são principalmente duas: a primeira é sem fio através de Wi-Fi, a segunda por meio de um cabo de rede, comumente conhecido como Ethernet. Nesse contexto, a ESET, empresa especializada em detecção proativa de ameaças, analisou as duas opções para identificar suas diferenças.

Velocidade de conexão – Para a ESET, são vários os fatores que influenciam para que uma conexão seja mais rápida que outra. O principal problema é a saturação de canais e o grande número de conexões por padrão. Embora, em teoria, o Wi-Fi ofereça uma capacidade de velocidade maior que a conexão por cabo, esses pontos o tornam instável e diminuem a capacidade de transmissão de dados. Também é necessário levar em conta as estruturas físicas, como paredes de concreto e outros materiais de construção que causam perdas de sinal e uma redução no desempenho da conexão Wi-Fi. Quanto maior for a frequência, maior a taxa de absorção de paredes e pisos. Embora essas variações sejam quase imperceptíveis durante a navegação simples, as diferenças no desempenho podem ser mais evidentes ao jogar on-line, compartilhar arquivos na rede ou ao reproduzir conteúdo em ultra HD em streaming.

Em resumo, existem diferentes normas e padrões em cada tipo de conexão, mas implementada corretamente, a conexão por cabo é mais rápida que o Wi-Fi. Em conexões sem fio, as capacidades de cada protocolo são velocidades máximas teóricas, mas na maioria dos casos elas não atingem todo o seu potencial porque são afetadas pelos diferentes obstáculos mencionados anteriormente. Por outro lado, as conexões via Ethernet possuem um desempenho mais estável, uma vez que não são afetadas por esses agentes ou outros fatores externos.

Segurança de conexão – Em termos de segurança de comunicação, as conexões sem fio são mais fracas em comparação com a Ethernet. Existem vários tipos de ataques que podem ser executados remotamente, tanto para desabilitar um dispositivo quanto para burlar a criptografia e entrar em uma rede. Além disso, com um maior ou menor grau de sucesso, um invasor pode bloquear esse tipo de comunicação sem fio por meio de jammers (neutralizador de sinal GPS) ou inibidores de sinal.

Outro ataque comum é aquele que usa os pontos de acesso falsos nos quais a vítima acaba se conectando com o invasor, que pode espionar o tráfego e roubar seus dados. Estes ataques são impossíveis de serem feitos via rede Ethernet, uma vez que eles só acontecem por acesso físico. Devido a isso, as conexões por cabo são mais seguras do que as comunicações sem fio, já que há menos risco de incidentes em casos nos quais as medidas de segurança não estão bem aplicadas.

A mobilidade definirá as necessidades em conjunto com as portas disponíveis em um roteador. Se você trabalha com um notebook e está constantemente mudando para a cobertura Wi-Fi, talvez não seja possível se limitar a um cabo que o force a permanecer no mesmo espaço físico. No caso de computadores de mesa, embora eles possam ter conexão wireless, seu uso só é recomendado quando o cabo de rede não possa ser plugado ao computador. Para unidades compartilhadas de rede ou do Media Player, as conexões por cabo também são recomendadas. “Embora, em teoria, o Wi-Fi ofereça uma maior capacidade de velocidade que a conexão por cabo, a conexão via Ethernet acaba sendo, na prática, a mais rápida e também a mais segura. Apesar de ser possível não utilizar cabos nos dispositivos, em muitos casos, para os amantes da velocidade, esta não é a melhor opção. Portanto, será uma questão de priorizar os gostos e levar em conta o nível de segurança que queremos para nossa informação”, explica Lucas Paus, especialista em segurança de TI da ESET América Latina.

Para mais informações, visite o portal de notícias da ESET chamado We Live Security em: https://www.welivesecurity.com/br/2018/04/05/wi-fi-ou-cabo-de-rede/

 

 

 

 

 

Fonte: aboutCOM / Imprensa
Foto: Divulgação

Anúncios