Após percorrer Minas Gerais, Piauí e Mato Grosso, a “Expedição Nissan: À procura do início do Brasil” dá a largada para a sua quarta etapa. A partir desta segunda-feira, dia 23, os aventureiros – jornalistas, convidados e pesquisadores – percorrerão o interior da Bahia para conhecer as origens do país por meio da arte rupestre. A expedição, que usa uma frota de 15 picapes Frontier, passará por locais que guardam registros da presença de nossos ancestrais com milhares de anos. O comboio é formado por unidades das duas versões da Frontier vendidas atualmente no mercado brasileiro: a topo de linha LE e a versão intermediária SE, lançada em novembro.

A “Expedição Nissan: À procura do início do Brasil” vai à Bahia por conta do rico acervo arqueológico do estado, especialmente na região do município de Morro Chapéu, que conta com dezenas de sítios arqueológicos com pinturas em grutas e paredes. A arte rupestre na Bahia – que tem mais de 100 sítios catalogados – é reconhecida como memorial de mitos, rituais, assinaturas pessoais, marcas étnicas ou simples representações de atividades lúdicas. O tipo de desenho, as técnicas de aplicação e a composição do pigmento apontam para a passagem de diferentes grupos humanos, que viveram na região da Chapada Diamantina em períodos distintos.

A expedição, que já visitou sítios arqueológicos em Minas Gerais, Piauí e Mato Grosso, segue o compromisso da Nissan de estar cada vez mais presente no dia a dia dos brasileiros e, assim, une os produtos da marca com ações que contribuam com o país. No caso, contribuir com a cultura e a pesquisa científica ao divulgar o rico acervo de pinturas rupestres do Brasil, que muitas vezes é mais conhecido e admirado por estrangeiros do que pelos brasileiros.

Em 2014, a Nissan inaugurou seu Complexo Industrial brasileiro, em Resende (RJ) e, desde então, se integra cada vez mais a sociedade e apoia o desenvolvimento social e cultural do país. A empresa japonesa acredita que existem pontos importantes da história do Brasil, e o trabalho de muitos brasileiros, que são pouco conhecidos da população. Por isso, decidiu iniciar expedições temáticas para levar convidados e jornalistas para ver de perto toda a riqueza da história do país e ajudar a divulgá-la, apoiando a cultura.

Frontier – Para chegar aos destinos de cada etapa, o grupo de expedicionários segue a bordo de 15 unidades da nova Nissan Frontier, modelo que começou a ser vendido no mercado brasileiro em março de 2017. Além da modernidade, do design totalmente novo e robusto, a peça-chave da 12ª geração da Frontier é a estrutura ainda mais resistente, com um chassi reforçado, ao mesmo tempo que é leve e eficiente. Com oito barras transversais, conta com um outro chassi sobreposto por dentro com soldas contínuas, chamado de duplo “C”. Assim, o veículo fica ainda mais resistente às tensões da torção da carroceria.

E a Frontier é mais do que força, por isso uma combinação de tecnologias permite extrair o máximo em desempenho no fora-de-estrada e garantir uma condução confortável, enquanto itens inéditos para o modelo estão a serviço do condutor. Entre eles, o Controle Automático de Descida (HDC) e o Sistema de Auxílio de Partida em Rampa (HSA). Ambos sistemas atuam automaticamente nos freios do veículo para controlar descidas íngremes ou saídas do carro da imobilidade em subidas.

A linha da Frontier conta com duas versões SE e LE, ambas com cabine dupla, tração 4×4 e equipadas com o novo e moderno motor diesel 2.3 com duplo turbo. A Nissan Frontier está presente em 33 mercados da América Latina e é um dos modelos mais vendidos da marca na região.

 

 

 

 

 

Fonte: Nissan do Brasil / Imprensa
Fotos: Divulgação

 

Anúncios