Nos primeiros dias de janeiro de 2007, Carlo Collet, Marcelo Christiansen e Mario Brandizzi Neto fundaram a BSS Blindagens (Beyond Special Security), em Mogi das Cruzes, com cerca de 20 funcionários. Ainda no mesmo ano, precisamente em junho, a empresa se estabeleceu no bairro do Jaguaré, em São Paulo, onde permanece até hoje, mas com 200 colaboradores diretos e outros 200 indiretos (fabricas de vidro blindado e manta de aramida). Em 30 de setembro de 2017, ano de comemoração dos 10 anos, a BSS chegou a 10.015 veículos blindados. Essa é a história do livro “BSS: 10 anos, 10 mil carros blindados”, que conta a trajetória da empresa, hoje, líder do setor de blindagem veicular, que responde por 10% do mercado brasileiro e por 30% se considerado os veículos Premium (acima de R$ 200 mil).

Em 110 páginas, capa dura, ilustrado com 235 fotos e 19 gráficos, o livro traz a história da proteção individual da humanidade, primeiro das flechas e depois das armas de fogo, o início da blindagem veicular no Brasil, a revolução do processo industrial (15 estações de produção seriada), o avanço da tecnologia de materiais (do aço balístico para chapas de aramida, estas oito vezes mais leves), mas sobretudo revela depoimentos de funcionários e de fornecedores, que compõem a “alma” da blindagem veicular realizada na BSS.

Por meio de fotografias, o livro revela leva ao leitor como uma blindadora pode ter uma linha de produção organizada, just-in-time, limpa, fatores que permitem à BSS executar os serviços de proteção balística veicular em apenas 15 dias, tempo recorde no setor. Responsável por instituir o conceito de “kit completo”, ou seja, de ter todos os insumos disponíveis antes do início do processo de blindagem, ainda em 2008, a BSS controla e disponibiliza informações e dados à produção interna por meio monitores de TV instalados estrategicamente em toda a fábrica (e também nos fornecedores), de modo que a produção seriada flua sem interrupções, não tenha “gargalos”.

A BSS iniciou sua história com a entrega de blindagens em agosto de 2007 com 144 unidades blindadas, 2008 (456), 2009 (584), 2010 (584), 2011 (829), 2012 (730), 2013 (1.353), 2014 (1.588), 2015 (1.479), 2016 (1.302) e no ano passado 1.350, totalizando 10.399 unidades, das quais 90% constituídas por automóveis Premium. O passo a passo das vendas anuais históricas encontra na linha do tempo da empresa, às páginas 18 e 19, os principais movimentos de melhoria contínua dos processos fabris. A expectativa dos empresários para 2018, é superar a marca das 1.500 blindagens, e seguir com o crescimento estruturado e perene.

Fonte: Textofinal de Comunicação Integrada
Foto: Divulgação

Anúncios